O controle judicial imediato de apreensões de adolescentes e jovens no Brasil

Palavras-chave: adolescentes, apreensão, controle judicial, direitos humanos, América Latina

Resumo

O objetivo principal desse trabalho é investigar a efetividade do controle judicial de apreensão de adolescentes e jovens no contexto da prática de atos infracionais no Brasil como instrumento para proteção dessa população contra ilegalidades e arbitrariedades, mas sobretudo em face de agressões, torturas, maus tratos e tratamentos desumanos ou degradantes. Para tanto foi importante efetuar uma pesquisa documental em relação à normativa internacional dos direitos humanos e à legislação de países da América Latina. Equipamentos que potencializam esse controle judicial atualmente no país também foram objeto de análises. Além disso, foi necessário investigar o modelo de controle judicial de apreensão de adultos tendo em vista a proibição de tratamento mais gravoso a adolescentes e jovens. Assim, chegou-se à conclusão de que o modelo de controle de apreensões de adolescentes e jovens no Brasil se encontra dissociado da normativa internacional e também da legislação dos países da região, assegurando proteção inferior àquela conferida à população adulta.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hugo Fernandes Matias, Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo

Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNI-Rio)
Defensor Público do Estado do Espírito Santo desde 2010. Mestrando em Política Social pela Universidade Federal do Estado do Espírito Santo –PPGPS/UFES. Coordenador de Direitos Humanos da Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo (2019-2020). Coordenador de Infância e Juventude da Defensoria Pública do Espírito Santo (2015-2018). Coordenador do Comitê Estadual para Prevenção e Erradicação da Tortura no Espírito Santo – CEPET/ES (2018/2020)

Camila Dória Ferreira, Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo

Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Sergipe – UFS. Defensora Pública do Estado do Espírito Santo desde 2013. Integrante do Núcleo da Infância e Juventude da Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo. Integrante da Comissão da Infância e Juventude do CONDEGE. Integrante da Comissão da Infância da ANADEP

Adriana Peres Marques dos Santos, Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo

Bacharel em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ. Pós-graduada pela Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro – EMERJ. Defensora Pública do Estado do Espírito Santo desde 2014.
Coordenadora da Infância e Juventude da Defensoria Pública do Estado do Espírito Santo. Vice Coordenadora do Comitê Estadual para a Prevenção e Erradicação da Tortura no Espírito Santo – CEPET. Integrante da Comissão da Infância e Juventude do CONDEGE

Referências

ARGENTINA. Constituição (1994). Constitución de la Nacion Argentina. Santa Fe, 23 ago. 1994. Disponível em https://www.acnur.org/fileadmin/Documentos/BDL/2001/0039.pdf?view=1. Acesso em: 08 fev. 2021.

ARGENTINA. Buenos Aires. Lei 2451 de 03 de outubro de 2007. el Régimen Procesal Penal Juvenil de la Ciudad Autónoma de Buenos Aires. Buenos Aires, 13 de novembro de 2007. Disponível em <http://cdh.defensoria.org.ar/wp-content/uploads/sites/10/2018/01/Ley-Ciudad-2451-Sancionada-03-10-2007-Publicada-BOCBA-N---2809-del-13-11-2007.pdf>. Acesso em 14 fev. 2021.

BALBOA, Alejandro Carlín. Manual básico de justicia para adolescentes. Poder Judicial Estado de Nuevo León, 2018.

BEHRING, Elaine; BOSCHETTI, Ivanete. Política Social: fundamentos e história. 9a ed. São Paulo: 2011.

BOMFIM, Camila e RODRIGUES, Mateus. Moraes marca audiência de custódia de Daniel Silveira para a tarde desta quinta. TV Globo e G1, Brasília, 17 fev. 2021. Disponível em https://g1.globo.com/politica/noticia/2021/02/17/moraes-marca-audiencia-de-custodia-de-daniel-silveira-para-a-tarde-desta-quinta.ghtml. Acesso em 18 fev. 2021.

BRASIL. Conselho Nacional de Justiça. Recomendação CNJ nº 87 de 2021. Disponível em https://atos.cnj.jus.br/files/original1337302021012660101b1a439cd.pdf. Acesso em 23 mar. 2021.

BRASIL. Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). LEVANTAMENTO ANUAL SINASE 2017. Brasília: Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, 2019. Disponível em https://www.gov.br/mdh/pt-br/navegue-por-temas/crianca-e-adolescente/LevantamentoAnualdoSINASE2017.pdf. Acesso em: 08 fev. 2021.

BRASIL. Senado Federal. Plenário aprova adesão do Brasil à Convenção sobre os Direitos da Criança. Senado Notícias. Disponível em <https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2017/06/08/plenario-aprova-adesao-do-brasil-a-convencao-sobre-os-direitos-da-crianca>. Acesso em 23. mar. 2021

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Plenário confirma validade de normas do TJ-SP sobre audiências de custódia. Disponível em http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=298112&caixaBusca=N. Acesso em 06 fev. 2021.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. STF determina realização de audiências de custódia e descontingenciamento do Fundo Penitenciário. Disponível em http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=299385. Acesso em 06 fev. 2021.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Ministro determina realização de audiências de custódia para todos os casos de prisão no Estado do RJ. Disponível em http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=457050. Acesso em 06 de fev. de 2021.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Ministro Luiz Fux suspende criação de juiz das garantias por tempo indeterminado. Disponível em https://portal.stf.jus.br/noticias/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=435253&ori=1. Acesso em 10 fev. 2021.

BRASIL. Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios. Resolução TJDFT nº 01 de 2017. Disponível em https://www.tjdft.jus.br/publicacoes/publicacoes-oficiais/resolucoes-do-conselho-da-magistratura/2017/resolucao-1-de-26-06-2017. Acesso em 07 fev. 2021.

BRASIL. Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios. TJDFT inaugura núcleo de atendimento a adolescentes em parceria com outros órgãos. Disponível em https://www.tjdft.jus.br/institucional/imprensa/noticias/2013/fevereiro/tjdft-inaugura-nucleo-de-atendimento-a-adolescentes-em-parceria-com-outros-orgaos. Acesso em 18 fev. 2021.

BRASIL, Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo. Resolução n.º 056, de 21 de nov. 2014. Regulamenta funcionamento da Unidade Judiciária no CIASE. Disponível em: http://www.tjes.jus.br/056-regulamenta-funcionamento-unidade-judiciaria-no-ciase-disp-21112014/. Acesso em 07 fev. 2021.

BRASIL, Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais. Resolução-Conjunta nº 01/2012/TJMG/PGJ/DPMG/SEDS/PCMG/PMMG/PBH. Disponível em: http://www8.tjmg.jus.br/institucional/at/pdf/ra00012012.pdf. Acesso em 07 fev. 2021.

BRASIL. Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul. Disponível em:https://jij.tjrs.jus.br/doc/artigos/edicao-08.pdf. Acesso em 19 fev. 2021.

BRASIL, Tribunal de Justiça do Estado do Pará. Composição do NAI. Disponível em http://www.tjpa.jus.br/PortalExterno/institucional/4a-Vara-da-Infancia-e-da-Juventude-de-Belem/439264-composicao-do-nai.xhtml. Acesso em 07 fev. 2021

BRASIL, Tribunal de Justiça do Estado do Pará. Resolução n.º 019/2014 – GP. Disponível em http://www.tjpa.jus.br/CMSPortal/VisualizarArquivo?idArquivo=11754. Acesso em 07 fev. 2021

CARNELUTTI, Francesco. As misérias do processo penal. 1a edição. Campinas: Russel, 2013.

CHILE. Ley 20.084. Establece un Sistema de Responsabilidad de los Adolescentes por Infracciones a la Ley Penal. Disponível em <https://www.bcn.cl/leychile/navegar?idNorma=244803>. Acesso em 12 fev. 2021.

CIDH. Corte Interamericana de Direitos Humanos. Caso Atala Riffo e Crianças Vs. Chile. Sentença de 24 de Fevereiro de 2012. Disponível em https://www.corteidh.or.cr/docs/casos/articulos/seriec_239_por.pdf. Acesso em 23 mar. 2021.

CIDH. Corte Interamericana de Direitos Humanos. Caso Bulacio vs Argentina. Sentencia de 18 de septiembre de 2003. Disponível em https://www.corteidh.or.cr/docs/casos/articulos/seriec_100_esp.pdf. Acesso em 14 fev.2021.

CIDH. Corte Interamericana de Direitos Humanos. Caso “Instituto de Reeducação do Menor” Vs. Paraguai. Disponível em <https://www.cnj.jus.br/wp-content/uploads/2016/04/1384a89a0996f1ea1767dc3533187a82.pdf>. Acesso em 14 fev. 2021.

CIDH. Corte Interamericana de Direitos Humanos. Caso Irmãos Landaeta Mejías e outros vs. Venezuela sentença de 27 de agosto de 2014. Disponível em: <https://www.cnj.jus.br/wp-content/uploads/2016/04/83012ab911083d3d26f7b00211847736.pdf>. Acesso em 17 fev. 2021.

CIDH. Corte Interamericana de Direitos Humanos. Parecer Consultivo OC-24/17 de 24 de Novembro de 2017 Solicitado pela Republica da Costa Rica. Disponível em <https://www.corteidh.or.cr/docs/opiniones/seriea_24_por.pdf>. Acesso em 14 fev. 2021

COLÔMBIA. Código de la Infancia y la Adolescencia. Disponível em http://www.politicacriminal.gov.co/Portals/0/Documentos%20SRPA/1098%20Ley%20de%20infancia.pdf. Acesso em 13 fev. 2021.

COSTA RICA. Ley 7.739 de 06 de fevereiro de 1998. Código de la Niñez y la Adolescencia. Disponível em <https://www.oas.org/dil/esp/codigo_ninez_adolescencia_costa_rica.pdf>. Acesso em 14 fev. 2021.

DÍAZ, Gonzalo Berríos. Derechos de los adolescentes y actividad persecutoria previa al control judicial de la detencion. Revista de Estudios de la Justicia, nº 7, ano de 2006.

Em audiência de custódia, Justiça mantém prisão de Crivella. ISTO É. Disponível em https://istoe.com.br/em-audiencia-de-custodia-justica-mantem-prisao-de-crivella/. Acesso em 18 de fev. 2021.

EUROSOCIAL. la Asamblea Plenaria de la XIX edición de la Cumbre Judicial Iberoamericana. Reglas de Brasilia sobre acceso a la justicia de las personas en condición de vulnerabilidade Versión actualizada 2018. Quito, Equador, abr. 2018. Disponível em <https://eurosocial.eu/wp-content/uploads/2020/02/Reglas-brasilia_web.pdf>. Acesso em 18 fev. 2021.

GUATEMALA. Decreto Nº 27. Ley de Protección Integral de la Niñez y Adolescencia (PINA). Disponível em https://siteal.iiep.unesco.org/sites/default/files/sit_accion_files/siteal_guatemala_0737.pdf. Acesso em 12 fev. 2021.

HONDURAS. Decreto 73 de 17 de junho de 1996. CÓDIGO DE LA NIÑEZ Y LA ADOLESCENCIA. Disponível em <http://www.poderjudicial.gob.hn/CEDIJ/Documents/C%C3%B3digo%20de%20la%20Ni%C3%B1ez%20y%20la%20Adolescencia.pdf>. Acesso em 14 fev. 2021.

IBGE divulga o rendimento domiciliar per capita 2019. Agência IBGE Notícias. Disponível em <https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/26956-ibge-divulga-o-rendimento-domiciliar-per-capita-2019>. Acesso em 28 jan. 2021.

INNOVARE, Prêmio. Proposta de implantação de Núcleo de atendimento integrado. Disponível em https://www.premioinnovare.com.br/proposta/implantacao-do-nai-nucleo-de-atendimento-integrado-cumprimento-do-art-88-inciso-v-do-estatuto-da-crianca-e-do-adolescente-882/print. Acesso em 08 fev. 2021.

MATIAS, Hugo Fernandes; SANTOS, Mariana Chies Santiago. Notas sobre a proteção da vida e integridade pessoal de adolescentes e jovens à luz do caso Bulacio vs. Argentina. Boletim do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCRIM), ano 28, nº 337, dezembro de 2020.

MEXICO. Ley nacional del sistema integral de justicia penal para adolescentes. Disponível em: http://www.diputados.gob.mx/LeyesBiblio/pdf/LNSIJPA_011220.pdf. Acesso em 13 fev. 2021.

PIOVESAN. Flávia. Direitos humanos e o direito constitucional internacional. 13a ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

PNAD Contínua 2019: rendimento do 1% que ganha mais equivale a 33,7 vezes o da metade da população que ganha menos. Agência IBGE Notícias. Disponível em < https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/27594-pnad-continua-2019-rendimento-do-1-que-ganha-mais-equivale-a-33-7-vezes-o-da-metade-da-populacao-que-ganha-menos#:~:text=Em%202019%2C%20a%20massa%20mensal,R%24%20294%2C4%20bilh%C3%B5es.>. Acesso em 01 jan. de 2021.

ROSSATO, Luciano Alves. Tutela coletiva dos direitos de crianças e adolescentes. São Paulo: Verbatin, 2011.

UNITED NATIONS. Convention on the Rights of the Child. General comment No. 24 (2019) on children’s rights in the child justice system. 10 de setembro de 2009. Disponível em: <https://docstore.ohchr.org/SelfServices/FilesHandler.ashx?enc=6QkG1d%2fPPRiCAqhKb7yhsqIkirKQZLK2M58RF%2f5F0vEnG3QGKUxFivhToQfjGxYjV05tUAIgpOwHQJsFPdJXCiixFSrDRwow8HeKLLh8cgOw1SN6vJ%2bf0RPR9UMtGkA4>. Acesso em 17 fev. 2021.

UNITED NATIONS. Treaty Body Database - Ratification Status for Brazil. United Nations Human Rights Treaty Bodies. Disponível em <https://tbinternet.ohchr.org/_layouts/15/TreatyBodyExternal/Treaty.aspx?CountryID=24&Lang=EN>. Acesso em 23. mar. 2021.

UNICEF. História dos direitos da criança. Disponível em <https://www.unicef.org/brazil/historia-dos-direitos-da-crianca>. Acesso em 12 fev. 2021.

URUGUAI. Ley Nº 17.823. Código de la Niñez y Adolescencia. Disponível em <https://siteal.iiep.unesco.org/sites/default/files/sit_accion_files/siteal_uruguay_0481.pdf>. Acesso em 14 fev. 2021.

VENEZUELA. Ley orgánica para la protección de niños, niñas y adolescentes. Disponível em https://siteal.iiep.unesco.org/sites/default/files/sit_accion_files/siteal_venezuela_0451.pdf. Acesso em 12 fev. 2021.

Publicado
2021-04-29
Como Citar
Matias, H. F., Ferreira, C. D., & Santos, A. P. M. dos. (2021). O controle judicial imediato de apreensões de adolescentes e jovens no Brasil. Revista Da Defensoria Pública Do Distrito Federal, 3(1), 123-154. Recuperado de http://revista.defensoria.df.gov.br/revista/index.php/revista/article/view/111