Bioética, biodireito e Covid-19

  • Edison Tetsuzo Namba Escola Paulista da Magistratura
Palavras-chave: bioética, biodireito, Covid-19

Resumo

A bioética trata do mínimo necessário para o uso da ciência e tecnologia na intervenção no ser humano, composta de princípios, cuja discussão acirra-se quando existe debate entre conservadores e liberais. Daí a importância do biodireito, que parte de dogma, regras legais e princípios, para reger e resolver problemas do cotidiano. Tudo isso é importante para tratar do problema do corona-vírus, doença que se alastrou sobremaneira e causa internações e mortes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edison Tetsuzo Namba, Escola Paulista da Magistratura

Juiz de Direito em São Paulo. Mestre e Doutor em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Docente Formador da Escola Paulista da Magistratura (EPM). Docente Assistente da Área Criminal do Curso de Inicial Funcional da Escola Paulista da Magistratura - EPM (Concursos 177º, 178º, 179º e 180º). Docente Assistente da Escola Paulista da Magistratura (9º CDPP e 10º CDPP –especialização). Docente Civil da Academia de Polícia Militar do Barro Branco (APMBB).
Ex-representante do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo no Comitê Regional Interinstitucional de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas – São Paulo. Membro do
Instituto de Direito de Família. Autor do livro Manual de bioética e biodireito, São Paulo: Atlas, 2ª ed. 2015.

Referências

AFONSO DA SILVA, José. Curso de direito constitucional positivo. São Paulo: Malheiros Editores, 2014.

BOBBIO, Norberto. Teoria do ordenamento jurídico. Tradução de Maria Celeste C. J. Santos. Revisão técnica de Cláudio De Cicco. Apresentação de Tercio Sampaio Ferraz Junior. 10. ed. Brasília: Ed. UnB, 1999.

BOBBIO, Norberto. Teoria da norma jurídica. Tradução de Fernando Pavan Baptista e Ariani Bueno Sudatti. Apresentação de Alaôr Caffé Alves. Bauru: Edipro, 2001.

FERREIRA FILHO, Manoel Gonçalves. Curso de direito constitucional. 17ª ed. São Paulo: Saraiva, 1989.

FILOMENO, José Geraldo Brito. Código brasileiro de defesa do consumidor: comentado pelos autores do anteprojeto. Ada Pellegrini Grinover ... [et. al.]. 9ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

KANT, Immanuel, Fundamentação da Metafísica dos Costumes. Trad. de Paulo Quintela. Lisboa: Edições 70, 2007.

JUNQUEIRA DE AZEVEDO, Antonio. “Crítica ao personalismo ético da Constituição da República e do Código Civil. Em favor de uma ética biocêntrica”. Em JUNQUEIRA DE AZEVEDO, Antonio; TÔRRES, Heleno Taveira e CARBONE, Paolo (coord.). Princípios do Novo Código Civil Brasileiro e outros temas – homenagem a Tullio Ascrelli. São Paulo: Quartier Latin, 2008, p. 19-31.

NERY JUNIOR, Nelson. Constituição Federal comentada e legislação constitucional. Nelson Nery Júnior, Rosa Maria de Andrade Nery. 2ª ed. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2009.

PEREIRA, Caio Mário da Silva. Instituições de direito civil. V. 1. 20ª ed. Revista e atualizada por Maria Celina Bodin de Moraes. Rio de Janeiro: Forense, 2004.

SÁBADA, Javier. La necesidad de la bioética. Repensar el sujeto. In: CASADO, María (Org.). Estudios de bioética y derecho. Valencia: Tirant lo Blanch, 2000, p. 35-49.

VIEIRA, Tereza Rodrigues. Bioética e direito. São Paulo: Jurídica Brasileira, 1999.

Publicado
2021-10-13
Como Citar
Namba, E. T. (2021). Bioética, biodireito e Covid-19. Revista Da Defensoria Pública Do Distrito Federal, 3(2), 69-77. Recuperado de http://revista.defensoria.df.gov.br/revista/index.php/revista/article/view/123