O Projeto de Lei nº 5.435/2020 e a feminização da pobreza

Palavras-chave: Projeto de Lei n. 5.435/2020, raça, classe, desigualdades de gênero, feminização da pobreza

Resumo

O presente estudo tem por objeto o Projeto de Lei nº 5.435/2020, de autoria do Senador Eduardo Girão (PODEMOS/CE), que dispõe sobre o Estatuto da Gestante. A proposta de lei nº 5.435/2020 foi analisada sob o viés de raça, classe e gênero, tendo sido apontados os entraves entre o chamado “bolsa estupro” e os direitos sexuais e reprodutivos já conquistados pelas mulheres ao longo do tempo. Frisa-se que os recortes de gênero e de classe analisados no presente artigo trazem à tona o fenômeno denominado feminização da pobreza, levando em consideração as desigualdades existentes no Brasil, as quais provém de inúmeras variáveis, tais como a lógica patriarcal. Trata-se de pesquisa indutiva, de natureza explicativa quali-quantitativa, realizada por meio de pesquisas bibliográficas e documentais, com fins de indagar como o âmbito jurídico pode ser utilizado como meio de perpetuação de estereótipos de gênero e de controle dos corpos das mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcella Fernandes Martins, Defensoria Pública do Estado de Goiás

Bacharela em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO). Defensoria Pública do Estado de Goiás

Referências

AMARAL, Andre do. A legislação patriarcal sobre o corpo feminino. 16 de nov. 2017. Disponível em: <https://outraspalavras.net/feminismos/a-legislacao-patriarcal-sobre-o-corpo-feminino/> Acesso em 26 de setembro de 2021.

ANGELIN, Rosângela. Direitos sexuais e direitos reprodutivos das mulheres: avanços e desafios na construção da democracia. Coisas do Gênero, vol. 1. São Leopoldo/RS, 2015. Disponível em: http://www.periodicos.est.edu.br/index.php/genero/article/view/2616. Acesso em 28 set. 2021.

ANUÁRIO Brasileiro de Segurança Pública. Fórum Brasileiro de Segurança Pública. São Paulo, 2019. Disponível em: https://crianca.mppr.mp.br/arquivos/File/publi/fbsp/anuario_brasileiro_de_seguranca_publica_fbsp_2019.pdf. Acesso em 2 out. 2021.

ANUÁRIO Brasileiro de Segurança Pública. Fórum Brasileiro de Segurança Pública. São Paulo, 2020. Disponível em: https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2020/10/anuario-14-2020-v1-interativo.pdf. ISSN 1983-7364. Acesso em 26 set. 2021.

ÁVILA, Maria Betânia. Direitos sexuais e reprodutivos: desafios para as políticas de saúde. Cadernos de Saúde Pública, vol. 19. Rio de Janeiro, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csp/a/q9MctdsGhp3QSKspjfPt5Rx/. Acesso em 23 out. 2021.

BARBOSA, Ruchester. ‘Mulher honesta’: conheça a origem da expressão. Canal Ciências Criminais. 2017. Disponível em: https://canalcienciascriminais.com.br/mulher-honesta-origem-da-expressao/. Acesso em 27 mar. 2021.

BARBOZA, Heloisa Helena Gomes; JUNIOR, Vitor de Azevedo Almeida. (Des)Igualdade de gênero: restrições à autonomia da mulher. Revista de Ciências Jurídicas Pensar. Fortaleza, v. 22, n. 1, p. 240-271, jan./abr. 2017. Disponível em: https://periodicos.unifor.br/rpen/article/view/5409. Acesso em 26 set. 2021.

BARROS, Lívya Ramos Sales Mendes de. A presença de estereótipos de gênero no Sistema de Justiça Penal e a classificação das mulheres vítimas de crime de estupro a partir da fala e do comportamento. 18º REDOR, Tema: Perspectivas Feministas de Gênero: Desafios no Campo da Militância e das Práticas. Recife-PE, 24 a 27 de nov. 2014. Disponível em: http://www.ufpb.br/evento/index.php/18redor/18redor/paper/viewFile/622/701. Acesso em 26 set. 2021.

BRASIL. Decreto nº 4.377, de 13 de set. de 2002. Promulga a Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher, de 1979, e revoga o Decreto no 89.460, de 20 de março de 1984. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/D4377.htm. Acesso em 27 mar. 2021.

BRASIL. Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dez. de 1940. Código Penal. Rio de Janeiro/RJ, 1940. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto-lei/Del2848compilado.htm. Acesso em 27 mar. 2021.

BRASIL. Lei de 16 de Dezembro de 1830. Manda executar o Codigo Criminal. 1830. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/LIM/LIM-16-12-1830.htm. Acesso em 03 out. 2021.

BRASIL. Lei n. 9.263, de 12 de janeiro de 1996. Regula o §7º do art. 226 da Constituição Federal, que trata do planejamento familiar, estabelece penalidades e dá outras providências. Brasília/DF, 12 de jan. 1996. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9263.htm. Acesso em 30 mar. 2021.

BRASIL. Lei nº 3.071, de 1º de jan. de 1916. Código Civil dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro/RJ, 1916. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L3071.htm. Acesso em 27 mar. 2021.

BRASIL. Lei nº 11.106, de 28 de mar. de 2005. Altera os arts. 148, 215, 216, 226, 227, 231 e acrescenta o art. 231-A ao Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 – Código Penal e dá outras providências. Brasília/DF, 2005. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Lei/L11106.htm. Acesso em 27 mar. 2021.

CAMPOS, Carmen Hein de et al. Cultura do estupro ou cultura antiestupro?. Revista Direito GV [online]. 2017, v. 13, n. 3, pp. 981-1006. Disponível em: https://doi.org/10.1590/2317-6172201738. ISSN 2317-6172. Acesso em 26 set. 2021.

CERQUEIRA, Daniel; COELHO, Danilo de Santa Cruz. Estupro no Brasil: uma radiografia segundo os dados da Saúde (versão preliminar). Brasília, DF: IPEA, 2014. (Texto para discussão, n. 11). Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/5780/1/NT_n11_Estupro-Brasil-radiografia_Diest_2014-mar.pdf. Acesso em 26 set. 2021.

CISNE, Mirla et al. Unsafe abortion: a patriarchal and racialized picture of women’s poverty. Revista Katálysis [online]. 2018, v. 21, n. 03, pp. 452-470. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1982-02592018v21n3p452. ISSN 1982-0259. Acesso em 03 out. 2021.

CITELI, Maria Teresa. A pesquisa sobre sexualidade e direitos sexuais no Brasil (1990-2002): revisão crítica. Centro Latino-Americano em Sexualidade e Direitos Humanos; Instituto de Medicina Social, IMS. 2005. Disponível em: https://repositorio.unal.edu.co/handle/unal/52659. Acesso em 24 out. 2021.

Comitê Latino-Americano e do Caribe para a Defesa dos Direitos da Mulher – CLADEM. Parecer do CLADEM Brasil sobre o Projeto de Lei n.° 5.435, de 2020, que dispõe sobre o Estatuto da Gestante. 2021. Disponível em: https://cladem.org/wp-content/uploads/2021/03/Parecer-Cladem-Brasil-PL-5435-2020.pdf. Acesso em 30 mar. 2021.

CONSOLIM, Veronica Homsi. Um pouco da história de conquistas dos direitos das mulheres e do feminismo. Justificando. 13 de set. 2017. Disponível em: https://www.justificando.com/2017/09/13/um-pouco-da-historia-de-conquistas-dos-direitos-das-mulheres-e-do-feminismo/. Acesso em 26 set. 2021.

CORRÊA, Sonia; PETCHESKY, Rosalind. Direitos Sexuais e Reprodutivos: uma Perspectiva Feminista. PHYSIS: Rev. Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, 1996. Disponível em: https://www.scielosp.org/pdf/physis/1996.v6n1-2/147-177/pt. Acesso em 27 mar. 2021.

COSTA, Joana Simões et al. A face feminina da pobreza: sobre-representação e feminização da pobreza no Brasil. Brasília, DF: IPEA, 2005. (Texto para discussão, n. 1137). Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_1137.pdf. Acesso em 26 set. 2021.

COULOURIS, Daniella Georges. A Desconfiança em Relação à Palavra da Vítima e o Sentido da Punição em Processos Judiciais de Estupro. São Paulo, 2010. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8132/tde-20092010-155706/publico/2010_DaniellaGeorgesCoulouris.pdf. Acesso em 02 out. 2021.

DIAS, Sônia Ferreira et al. Saúde Sexual e Reprodutiva de Mulheres Imigrantes Africanas e Brasileiras: um estudo qualitativo. Lisboa, jun. 2009. Disponível em: https://www.om.acm.gov.pt/documents/58428/177157/OI_32.pdf/059d23a1-370f-49a3-a2ab-70077b24d69d. Acesso em 28 set. 2021.

DINIZ, Debora et al. Pesquisa Nacional de Aborto 2016. Cad. Ciência e Saúde Coletiva. Fev, 2017. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/8LRYdgSMzMW4SDDQ65zzFHx/#. Acesso em 29 set. 2021.

FRANÇA, Karoline Veiga; BRAUNER, Maria Claudia Crespo. O corpo feminino sob uma perspectiva foucaultiana: rumo à construção dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres no Brasil. VII Seminário Corpo, Gênero e Sexualidade. Universidade Federal do Rio Grande – FURG. Set. 2018. Disponível em: https://7seminario.furg.br/images/arquivo/236.pdf. Acesso em 29 set. 2021.

GUARNIERI, Tathiana Haddad. Os Direitos das Mulheres no Contexto Internacional – da Criação da ONU (1945) à Conferência de Beijing (1995). Revista Eletrônica da Faculdade Metodista Granbery. 2010, Juiz de Fora/MG. Disponível em: http://re.granbery.edu.br/artigos/MzUx.pdf. Acesso em 27 mar. 2021.

INSTITUTO BRASILEIRO DE PESQUISA APLICADA. Tolerância social à violência contra as mulheres. Brasília: IPEA, 2014. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/SIPS/140327_sips_violencia_mulheres.pdf. Acesso em 23 out. 2021.

INTERNATIONAL WOMEN'S HEALTH COALITION. Quarta Conferência Mundial das Nações Unidas sobre a Mulher, sf. Disponível em: https://iwhc.org/articles/quarta-conferencia-mundial-das-nacoes-unidas-sobre-mulher/. Acesso em 03 out. 2021.

LABORATÓRIO DE DEMOGRAFIA E ESTUDOS POPULACIONAIS. Barreiras ao aborto legal: Mais de 20 mil meninas mantêm gravidez resultado de estupro por ano no Brasil. Universidade Federal de Juiz de Fora/MG – UFJF, 21 ago. 2020. Disponível em: https://www.ufjf.br/ladem/2020/08/21/barreiras-ao-aborto-legal-mais-de-20-mil-meninas-mantem-gravidez-resultado-de-estupro-por-ano-no-brasil/. Acesso em 29 set. 2021.

MATTAR, Laura Davis & DINIZ, Carmen Simone Grilo. Hierarquias reprodutivas: maternidade e desigualdades no exercício de direitos humanos pelas mulheres. Interface (Botucatu), Botucatu, v. 16, n. 40, p. 107-120, Mar. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832012000100009&lng=en&nrm=iso. Acesso em 30 mar. 2021.

MENEZES, Greice; AQUINO, Estela M. L. Pesquisa sobre o aborto no Brasil: avanços e desafios para o campo da saúde coletiva. Cadernos de Saúde Pública, vol. 25. Rio de Janeiro, 2009. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2009001400002. Acesso em 28 mar. 2021.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Atenção Humanizada ao Abortamento: Norma Técnica. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2011. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_humanizada_abortamento_norma_tecnica_2ed.pdf. Acesso em 10 out. 2021.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher - Plano de Ação 2004 – 2007. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas do Ministério da Saúde, Série C. Projetos, Programas e Relatórios. Brasília – DF, 2004. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nac_atencao_mulher2.pdf. Acessado em 21 out. 2021.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas Área Técnica de Saúde da Mulher. Prevenção e tratamento dos agravos agravos da violência sexual contra mulheres e adolescentes: Norma Técnica (3a ed.), Editora MS, Brasília (2012). Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/prevencao_agravo_violencia_sexual_mulheres_3ed.pdf. Acesso em 26 set. 2021.

NOVELLINO, Maria Salet F. Os estudos sobre feminização da pobreza e políticas públicas para mulheres. Apresentado no XXVIII Encontro Anual da ANPOCS, Caxambu, de 26 a 30 de outubro de 2004. Disponível em: https://www.anpocs.com/index.php/papers-28-encontro/st-5/st23-2/4076-mnovellino-os-estudos/file#:~:text=O%20conceito%20'feminiza%C3%A7%C3%A3o%20da%20pobreza,estadunidense%20Diane%20Pearce%20em%201978.&text=O%20aumento%20progressivo%20destes%20domic%C3%ADlios,especificamente%20para%20as%20mulheres%20chefes. Acesso em 06 jan. 2022.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS (ONU). Declaração e Programa de Ação da Conferência Mundial sobre Mulheres. Pequim, 1995. Documento ONU A/CONF177/20. Disponível em: http://www.un.org/esa/gopher-data/conf/fwcw/off/a--20.en. Acesso em 30 mar. 2021.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Prevención del aborto peligroso. 19 fev. 2016. Disponível em: https://www.who.int/es/news-room/fact-sheets/detail/preventing-unsafe-abortion. Acesso em 03 out. 2021.

PAULA, Bianca. O aborto no Código Penal Brasileiro. 2017. Disponível em: https://jus.com.br/artigos/57513/o-aborto-no-codigo-penal-brasileiro. Acesso em 03 out. 2021.

SAAS, Emilly. A resistência na carne: aborto, capitalismo e a colonização do corpo feminino. Revista Eletrônica Movimento, 2019. Disponível em: https://movimentorevista.com.br/2019/10/a-resistencia-na-carne-aborto-capitalismo-e-a-colonizacao-corpo-do-feminino/. Acesso em 28 mar. 2021.

SARMENTO, Daniel. Legalização do aborto e Constituição. Revista de Direito Administrativo, [S. l.], v. 240, p. 43–82, 2005. DOI: 10.12660/rda.v240.2005.43619. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rda/article/view/43619. Acesso em 23 out. 2021.

SENADO FEDERAL. Projeto de Lei nº 5435, de 2020, de 9 de dezembro de 2020. Estatuto da Gestante. [S. l.], Brasília, DF, 9 dez. 2020. Disponível em: https://legis.senado.leg.br/sdleg-getter/documento?dm=8911162&ts=1616615444408&disposition=inline. Acesso em 26 set. 2021.

SENADO FEDERAL. Atividade Legislativa. Projetos e Matérias. Pesquisas. Projeto de Lei nº 5435, de 2020, de 9 de dezembro de 2020. Disponível em: https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/145760. Acesso em 06 jan. 2022.

SOUSA, Renata Floriano de. Cultura do estupro: prática e incitação à violência sexual contra mulheres. Revista Estudos Feministas [online]. 2017, v. 25, n. 1, pp. 9-29. Disponível em: https://doi.org/10.1590/1806-9584.2017v25n1p9. ISSN 1806-9584. Acesso em 02 out. 2021.

STRAPAZZON, Greici Kelli et al. “BOLSA-ESTUPRO”: UMA CONCEPÇÃO SOBRE A CULTURA DO ESTUPRO. Anuário Pesquisa E Extensão Unoesc São Miguel Do Oeste, 2021. Disponível em: https://unoesc.emnuvens.com.br/apeusmo/article/view/27824/16275. Acesso em 26 set. 2021.

TORRES, José Henrique Rodrigues. Aborto e legislação comparada. Cienc. Culto., São Paulo, v. 64, n. 2, pág. 40-44, junho de 2012. Disponível em http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0009-67252012000200017&lng=en&nrm=iso. Acesso em 23 out. 2021.

Publicado
2021-12-20
Como Citar
Martins, M. F. (2021). O Projeto de Lei nº 5.435/2020 e a feminização da pobreza. Revista Da Defensoria Pública Do Distrito Federal, 3(3), 87-104. Recuperado de http://revista.defensoria.df.gov.br/revista/index.php/revista/article/view/119