Sejamos todos feministas

isso não é uma opinião, mas um fato acerca da masculinidade atual

  • Márcio Del Fiore Superior Tribunal de Justiça
Palavras-chave: feminismo, sociedade patriarcal, legislação penal brasileira, masculinidade

Resumo

O artigo tem por objetivo analisar a influência da sociedade patriarcal na legislação penal brasileira. O presente artigo é dividido em três partes. Na primeira, explico o conceito do feminismo. Na segunda, um breve histórico de como a legislação tratou e trata as mulheres, o que pode significar muito de nossa sociedade patriarcal. Por último, na terceira parte, conclamo todos os homens (e mulheres antifeministas) a tomarem parte do feminismo e tornar um mundo melhor, sem depender de qualquer forma de Estado paternalista, simplesmente, fazendo, cada um, a sua parte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcio Del Fiore, Superior Tribunal de Justiça

Cursou Justice em Harvard University, Especialista em Direito Penal Econômico Europeu pela Universidade de Coimbra e Especialista em Direito Público pela Faculdade de Direito Damásio de Jesus. Analista Judiciário do Superior Tribunal de Justiça

Referências

Adichie, Chimamanda Ngozie. Sejamos todos feministas. 1ª. ed., São Paulo: Companhia das Letras, 2014.

Arendt, Hanna. A condição humana. 10ª. ed., Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007.

Beauvoir, de Simone. O segundo sexo. 6ª. ed., Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2019.

Bobbio, Norberto. A era dos direitos. Nova ed., Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

Castro, Lana Weruska Silva. O crime passional de Doca Street, publicado no sítio da internet www.canalcienciascriminais.com.br.

Escorel, Eduardo. RBG – Ruth Bader Ginsburg, a juíza da Suprema Corte que faz a diferença, publicado no sítio da internet www.piaui.folha.uol.com.br.

Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Disponível em https://forumseguranca.org.br/wp-content/uploads/2018/05/violencia-domestica-covid-19-v3.pdf. Acesso em 20 de maio de 2020.

Hooks, Bell. O feminismo é para todo mundo: Políticas arrebatadoras. 1ª. ed., Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2019.

Jablonka, Ivan. Des hommes justes. Du patriarcat aux novelles masculinités. Seuil, 2019.

MANSSUR, Gabriela. E sobre esse vídeo. Instagram:@justicadesaia, São Paulo, disponível em https://www.instagram.com/p/CAUAdRCAd7N/. Acesso em 18/52020.

Mulas, Nives Sanz. Manual de Política Criminal. 1ª. ed., Florianópolis: Tirant lo Blanch, 2018.

Pierangeli, José Henrique. Códigos Penais do Brasil – evolução histórica. 2ª. ed., São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2001.

Ribeiro, Djamila. Pequeno Manual Antirracista. 2ª. ed., São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

TONON, Michelle. Mulheres do meu coração. Instagram: @micheletonon, Brasília, disponível em https://www.instagram.com/p/CAU-n-GDALe/. Acesso em 18/5/2020.

Publicado
2020-11-11
Como Citar
Fiore, M. (2020). Sejamos todos feministas. Revista Da Defensoria Pública Do Distrito Federal, 2(2), 107-126. Recuperado de http://revista.defensoria.df.gov.br/revista/index.php/revista/article/view/77